01 abril, 2012

Ritmo do tempo, missão de luz.

Aceito o convite da chegada da Semana Santa para refletir sobre os mistérios da paixão, morte e ressurreição de Jesus Cristo. 
Observo a cruz, que não me deixa esquecer essa verdade do tempo que escoa e da missão a cumprir. 
Uma missão de paz, de luz, amor e doação.
Da melhor forma possível.


No Domingo de Ramos, celebra-se a entrada de Jesus em Jerusalém, aonde vai para completar sua missão, que culminará com a morte na cruz. Os evangelhos relatam que muitas pessoas homenagearam a Jesus, estendendo mantos pelo chão e aclamando-o com ramos de árvores. Por isso hoje os fiéis carregam ramos, recordando o acontecimento. Imitando o gesto do povo em Jerusalém, querem exprimir que Jesus é o único mestre e Senhor. 
A liturgia de Ramos resume e prepara a grande celebração da morte e ressurreição do Senhor. De um lado aclamamos Jesus, rei humilde, servidor do povo, glorificado pelo Pai e constituído Senhor do universo. Depois, na Liturgia da Palavra, é proclamado o evangelho da paixão e morte de Jesus, colocando os fiéis diante da realidade da cruz, sinal máximo do amor de Deus pelos homens.
http://www.catequisar.com.br/texto/materia/celebracoes/semanasanta/13.htm