16 outubro, 2016

Se avexe não

A natureza das coisas
Flávio José
Se avexe não
Amanhã pode acontecer tudo inclusive nada
Se avexe não
A lagarta rasteja até o dia em que cria asas

Se avexe não
Que a burrinha da felicidade nunca se atrasa
Se avexe não
Amanhã ela para na porta da sua casa

Se avexe não
Toda caminhada começa no primeiro passo
A natureza não tem pressa, segue seu compasso
Inexoravelmente chega lá

Se avexe não
Observe quem vai subindo a ladeira
Seja a princesa ou seja a lavadeira
Para ir mais alto vai ter que suar

09 setembro, 2016

TRAVESSIA “Digo: o real não está na saída nem na chegada: ele se dispõe para a gente é no meio da travessia" Guimarães Rosa

Eu, a alma, quero governar meus pensamentos. 
Quero escolher os pensamentos de paz e de harmonia.
Para experimentar o amor divino no dia a dia.
Abrir meu coração a partir da sensibilidade e da intuição.
Sustentar com paz na mente o vazio, as ausências de certeza, as ambivalências inerentes da vida.
Já sei e sinto que "a essência de todas as religiões, a raiz de todas as escrituras, o objetivo de todas as virtudes, é a experiência de harmonia e unidade espirituais"
Assim seja!
Renata Moreira da Silva
(09/09/2016)



06 agosto, 2016

Roots e Mulheres que Correm com os Lobos

"Todas nós temos anseio pelo que é selvagem. Existem poucos antídotos aceitos por nossa cultura para esse desejo ardente. Ensinaram-nos a ter vergonha desse tipo de aspiração. Deixamos crescer o cabelo e o usamos para esconder nossos sentimentos. No entanto, o espectro da Mulher Selvagem ainda nos espreita de dia e de noite. Não importa onde estejamos, a sombra que corre atrás de nós tem decididamente quatro patas"

*Clarissa Pinkola Estés* - Mulheres que Correm com os Lobos: mitos e histórias do arquétipo da Mulher Selvagem.





Queridos Roots
Agradeço profundamente a oportunidade pertencer a esse grupo, de compartilhar esse momento, essa experiência. A síntese que ressoa em mim, fruto desse encontro é: Verdade da Alma.

Desde o princípio e a cada momento o que vivi e o que presenciei nesse grupo foi a mais profunda expressão das verdades de cada um. Sem medo de julgamentos, cada um desvelou suas dores, retiramos nossas máscaras por um momento e nos olhamos nos olhos, inteiros. 

Meu maior medo, desdeque me reconheço por gente, é o medo de não suportar me ver de verdade, o medo da loucura, do caos. E, nesses dias, eu ganhei o presente de poder sustentar o meu olhar voltado para dentro sem medo de ver, acolhendo tudo o que há. Roots, é um terreno fértil para a morte do velho e o renascimento do novo. Agora sei que, de mãos dadas, não tenho medo de ver as verdades da alma. Essa teia de amor que se configurou nesses dias foi poderosa e belíssima.

Agradeço também, especialmente, por poder comemorar meu primeiro ano de casada ao lado de mulheres selvagens, intuitivas, inteiras e fortes, de homens poderosos, inteligentes e sensíveis e de casais profundamente dispostos a aprender, a cada dia, a arte da união! A presença das crianças foi essencial. Quanta magia e alegria na expressão da autenticidade, da brincadeira e da vida vivida intensamente!! 

O mês de junho é especial para mim, a festa junina sempre trouxe com força a expressão da raíz, das minhas raízes!!! Comemorar o São João com vocês, na Chapada Diamantina, com a beleza e o forró pé de serra de Mucugê germinou em mim com mais força a certeza de que tudo acontece da melhor forma, a conexão com o poder da abundância e a segurança de que é possível sim ser feliz no presente!!! Gratidão!!!

Renata Moreira da Silva (27/06/2016)

01 junho, 2016

Nós Flores seremos


"Uma vez que o homem purifica seu coração ele encontra pureza em todos os lugares. O mundo externo é apenas um reflexo do seu coração. Se você preencher seu coração com amor, você experimentará amor em todos os lugares. Se em seu coração houver ódio, ele será refletido fora. Tudo que você vê, ouve e experimenta fora é apenas o reflexo, reação e ressonância do seu Ser interno. Todo o bem e o mal que você vive no mundo externo são apenas seus próprios reflexos. Portanto, não aponte um dedo acusador para os outros. Todo o mundo depende de sua própria conduta. Se você for bom, assim também será o mundo. É um erro pensar que, no mundo, existe um mal em torno de você. De fato, é o seu próprio mal que está refletido fora. Se seus sentimentos são demoníacos, o mundo ao redor de você também lhe parecerá demoníaco. Se seus sentimentos forem divinos, você encontrará a felicidade em todos os lugares" Sai Baba (2002).


13 METAS 

01. Conhecer a si mesmo.
02. Saber a sua arte.
03. Aprender e buscar conhecimento sempre.
04. Usar o que você aprendeu corretamente.
05. Manter o equilíbrio de todas as coisas.
06. Manter suas palavras verdadeiras.
07. Manter seus pensamentos verdadeiros.
08. Celebrar a vida.
09. Alinhar você mesmo com os ciclos da Terra.
10. Manter seu corpo saudável e forte.
11. Exercitar seu corpo, sua mente e seu espírito.
12. Meditar, relaxar e se controlar.
13. Honrar a Deusa e o Deus em todos os momentos.

03 abril, 2016

"Abre essa janela, primavera quer entrar; Pra fazer da nossa voz uma só nota"

Fluxo de amor

Livre como o oceano;
Tão profundo quanto o oceano;
Selvagem e poderoso como o oceano;
Que assim seja, tal qual um oceano de amor!


29 março, 2016

A Dádiva dos meus Ciclos

alta expectativa 
frustração
medo
isolamento
compreensão
compaixão 
respeito
reconquista
resgate
observação
admiração
gratidão
renascimento

“Mulher eu sou, espírito eu sou, tenho o infinito dentro de mim, não tenho começo e não tenho fim, eu sou assim” (Canção dos círculos de mulheres norte-americanas)


29 fevereiro, 2016

Um templo em mim

Te olho nos olhos - Ana Carolina


Te olho nos olhos e você reclama
Que te olho muito profundamente.

Desculpa,
Tudo que vivi foi profundamente...
Eu te ensinei quem sou...
E você foi me tirando...
Os espaços entre os abraços,
Guarda-me apenas uma fresta.

Eu que sempre fui livre,
Não importava o que os outros dissessem.

Até onde posso ir para te resgatar?

Reclama de mim, como se houvesse a possibilidade...
De me inventar de novo.

Desculpa...se te olho profundamente,
Rente à pele...
A ponto de ver seus ancestrais...
Nos seus traços.

A ponto de ver a estrada...
Muito antes dos seus passos.

Eu não vou separar as minhas vitórias
Dos meus fracassos!

Eu não vou renunciar a mim;

Nenhuma parte, nenhum pedaço do meu ser
Vibrante, errante, sujo, livre, quente.

Eu quero estar viva e permanecer
Te olhando profundamente."



31 dezembro, 2015

2016

FOCO PARA 2016: ESTUDAR E ESCREVER

Dançar entre cada palavra
Florir em cada descoberta
Aprender entre os passos e em cada voo
Entender o ciclo das minhas águas
Expressar o fogo do meu sangue
Acalmar a ansiedade
Fluir autenticidade

UBUNTU
  
 "Todo jardim começa com uma história de amor, antes que qualquer árvore seja plantada ou um lago construído é preciso que eles tenham nascido dentro da alma. Quem não planta jardim por dentro, não planta jardins por fora e nem passeia por eles."
 Rubem Alves






05 dezembro, 2015

Preces e Orações: Reencontro - Adélio Neves / Poema da Gratidão - Amélia Rodrigues

Repertório:

1. Pai Nosso (Monsenhor Horta,
psicografado por Chico Xavier)
2. Oração de Francisco (Francisco de Assis)
3. Oração do Equilíbrio (Domínio Público)
4. Oração do Reconhecimento (Domínio Público)
5. Prece de Cáritas (Domínio Público)
6. Reencontro (Adélio Neves)
7. Não Posso Dizer Pai Nosso (Domínio Público)
8. Salmo 23
9. Salmo 27
10. Salmo 91
11. Aos Anjos Guardiães e aos Espíritos Benevolentes
12. Poema da Gratidão (Amélia Rodrigues,
psicografado por Divaldo Franco)
13. Seis Horas (Ave Maria) (Flávio Fonseca)
 
 
REENCONTRO
Adélio Neves

Deus, passei tanto tempo te procurando, não sabia onde estavas.
Olhava para o infinito, não te via, e pensava comigo mesmo:
“Será que tu existes?”
Não me contentava na busca e prosseguia.
Tentava te encontrar nas religiões e nos templos,
Tu também não estavas.
Te busquei através dos sacerdotes e pastores,
Também não te encontrei.
Senti-me só, vazio, desesperado e descri.
E na descrença, tropecei.
E no tropeço caí.
E na queda, senti-me fraco.
Fraco, procurei socorro.
No socorro encontrei amigos;
Nos amigos encontrei carinho;
No carinho, vi nascer o amor.
Com amor, vi um mundo novo.
E no mundo novo resolvi viver.
O que recebi, resolvi doar.
Doando alguma coisa, muito recebi.
E recebendo, senti-me feliz.
E ao ser feliz encontrei a paz.
E tendo paz foi que enxerguei
Que dentro de mim é que tu estavas,
Foi em mim que, sem procurar,
Eu te encontrei.


POEMA DA GRATIDÃO
Amélia Rodrigues psicografado por Divaldo Franco

Muito obrigado Senhor!
Muito obrigado pelo que me deste.
Muito obrigado pelo que me dás.

Obrigado pelo pão, pela vida, pelo ar, pela paz.
Muito obrigado pela beleza que os meus olhos vêem no altar da natureza.
Olhos que fitam o céu, a terra e o mar
Que acompanham a ave ligeira que corre fagueira pelo céu de anil
E se detém na terra verde, salpicada de flores em tonalidades mil.


Muito obrigado Senhor!
Porque eu posso ver meu amor.
Mas diante da minha visão
Eu detecto cegos guiando na escuridão
que tropeçam na multidão
que choram na solidão.

Por eles eu oro e a ti imploro comiseração
porque eu seique depois desta lida, na outra vida, eles também enxergarão!


Muito obrigado Senhor!
Pelos ouvidos meus que me foram dados por Deus.
Ouvidos que ouvem o tamborilar da chuva no telheiro
A melodia do vento nos ramos do olmeiro
As lágrimas que vertem os olhos do mundo inteiro!

Ouvidos que ouvem a música do povo que desce do morro na praça a cantar.
A melodia dos imortais, que se houve uma vez e ninguém a esquece nunca mais!
A voz melodiosa, canora, melancólica do boiadeiro.
E a dor que geme e que chora no coração do mundo inteiro!

Pela minha alegria de ouvir, pelos surdos, eu te quero pedir
Porque eu sei
Que depois desta dor, no teu reino de amor, voltarão a sentir!


Obrigado pela minha voz
Mas também pela sua voz
Pela voz que canta
Que ama, que ensina, que alfabetiza,
Que trauteia uma canção
E que o Teu nome profere com sentida emoção!

Diante da minha melodia
Eu quero rogar pelos que sofrem de afazia.
Eles não cantam de noite, eles não falam de dia.
Oro por eles
Porque eu sei, que depois desta prova, na vida nova
Eles cantarão!


Obrigado Senhor!
Pelas minhas mãos
Mas também pelas mãos que aram
Que semeiam, que agasalham.
Mãos de ternura que libertam da amargura
Mãos que apertam mãos
De caridade, de solidariedade
Mãos dos adeuses
Que ficam feridas
Que enxugam lágrimas e dores sofridas!

Pelas mãos de sinfonias, de poesias, de cirurgias, de psicografias!
Pelas mãos que atendem a velhice
A dor
O desamor!
Pelas mãos que no seio embalam o corpo de um filho alheio sem receio!
E pelos pés que me levam a andar, sem reclamar!


Obrigado Senhor!
Porque me posso movimentar.
Diante do meu corpo perfeito
Eu te quero rogar
Porque eu vejo na Terra
Aleijados, amputados, decepados, paralisados, que se não podem movimentar.

Eu oro por eles
Porque eu sei, que depois desta expiação
Na outra reencarnação
Eles também bailarão!


Obrigado por fim, pelo meu Lar.
É tão maravilhoso ter um lar!
Não é importante se este Lar é uma mansão, se é uma favela, uma tapera, um ninho, um grabato de dor, um bangalô, uma casa do caminho ou seja lá o que for.

Que dentro dele, exista a figura
do amor de mãe, ou de pai
De mulher ou de marido
De filho ou de irmão
A presença de um amigo
A companhia de um cão
Alguém que nos dê a mão!

Mas se eu a ninguém tiver para me amar
Nem um tecto para me agasalhar,
nem uma cama para me deitar
Nem aí reclamarei.
Pelo contrário, eu te direi

Obrigado Senhor!
Porque eu nasci!
Obrigado porque creio em ti
Pelo teu amor, obrigado senhor!