13 novembro, 2012

Encontro com o Avô Sol em meu Caminho


É chegada a hora de sacrificar a dúvida e o medo que cerceiam meu sonho.
Escolho sacrificar minhas próprias limitações: a família de vícios e medos que cultivei dentro de mim.

No rito diário de meditação matinal vejo Eu-ponto-de-luz e de onde vim, meu Lar-infinito-de-luz.
Sinto meu foco; cultivo minha vontade e alimento as minhas capacidades.

Com calma concentro-me na alma, em ser um farol de luz por onde andar.
Aprendo a criar uma atmosfera de bons pensamentos e a entender que toda crise é um ajuste.

A cada manhã conecto-me com minha clareza interna.
Com a minha clareza de propósito e com a minha intencionalidade na vida.

Quem sou eu? Que faço? De onde vim? Para onde vou?
No batuque do meu coração sinto que o mais importante é compreender a linguagem da alma.

Fonte de calor e amor, o Avô Sol me protege da escuridão do pensamento; da perda de coragem; E da noite escura da alma - que se manifesta quando o medo domina.

Através da Dança do Sol a jovem guerreira que existe em mim ganha força.
Na Dança da Lua a mulher mãe em mim planta hoje as sementes do futuro.


Renata Moreira da Silva
(13 de novembro de 2012)