12 novembro, 2011

Alguns poemas meus reunidos

Borboleta Lilás

Olho para as asas lilás
Arrisco sentir o que há aqui dentro.
Qual é mesmo o destino do vôo?
Certamente um vôo em liberdade.

A Fênix-borboleta estava no seu casulo
Recuperando-se da queda.
Tinha medo.
Mas o céu é azul...

Sou cúmplice dos caminhos
Dessa ave que insiste em se expor
E pintar de todas as cores o além do arco-íres

Tudo aqui anda a mil.
Sigo a música, a sabedoria da canção.
Sou então grata à vida, aos seus encontros.

Inicio um vôo de peito aberto, coração cicatrizado, vulcanizado.
Sigo as respostas que a arte me aponta.
Experimento o bater das asas.
Olho para a minha base, pai e mãe, meu ouro, minha mina.
Sou bem leve, leve e anseio o sonho
Até gerar o som.

Renata Moreira da Silva
(22 de abril de 2009)


Borboleta Lilás Florindo

A borboleta lilás engoliu um lírio
E assimilou ao seu tempo pétala por pétala da flor
Que desabrochou em seu íntimo.
Revelou-se forte em sua fragilidade;
Desmascarou a luz existente na sombra.

A borboleta já sabe voar,
Já explora e contempla os mistérios do céu azul
Ela sente que quer ainda mais.
Ela quer ser autêntica e poder dar mais.

Ela sente que o vulcão, fogo que existe dentro dela
Não queima as pétalas da rosa, seu fogo aquece e ilumina.

A borboleta lilás vai aos poucos arriscando viver tudo que sente
Sentir tudo que pensa, realizar tudo que sonha.
És muito grata ao céu pelo lírio lilás!

Agora a borboleta sente-se cada vez mais pronta
Para provar e quem sabe até pousar no potinho de pólen
E voar mais abastecida de amor,
Para Além do Arco-Íris.

Renata Moreira da Silva
(03 de Julho de 2009)


Quíron

Olho em meus próprios olhos
Vem silêncio, palavras e sentimento
Tento acolher com compaixão os pedacinhos mais tortos
           
Olhar para dentro é difícil
É preciso coragem para me assumir humana
Uma luta de sensibilidade e concha
Mas a curadora ferida ressurge das cinzas, sempre.
           
Um pequeno passo que dou em direção à mudança
E sinto mil passos de anjinhos do universo para mim!

Renata Moreira da Silva
(9 de Abril de 2010)